34

O lado negro dos contos de fadas que a Disney não contou 2° parte


Aos caros leitores Rebobinantes, meu olá. Bom galera, encerrando essa série sobre o lado negro dos contos de fada que a Disney não contou (ver primeira parte), nesse post trago algumas versões originais desses contos.

Os contos de fadas começaram a ser visto como “infantis” a partir dos Irmãos Grimm, que colecionaram vários contos alemães sob o nome de Contos de fadas para crianças. Mesmo assim, mantiveram a maioria dos detalhes sórdidos. Por que? Bom, precisamos lembrar que as crianças daquele tempo viviam em um mundo em que estavam muito mais expostas, convivendo mais diariamente e de forma direta com violência e morte. Ser devorado por um lobo, por exemplo, era um risco real.

Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa.

 Bela Adormecida

O conto original de A Bela Adormecida (Belle au bois Dormant) foi escrito pelo francês Charles Perrault 1697 e depois ganhou uma versão dos alemães Irmãos Grimm (com o nome Little Brier-Rose). Mas antes disso, em 1634, o italiano Giambattista Basile havia publicado um conto muito semelhante chamado Sol, Lua e Tália (Sun, Moon, and Talia) que foi a inspiração de Perrault e do conto que conhecemos.

A história:

Uma farpa de linho entra sob a unha da princesa Tália e ela imediatamente cai morta. O rei coloca sua filha em uma cadeira de veludo do palácio, tranca e parte para sempre, pra apagar a lembrança de sua dor. Algum tempo depois, outro rei estava por ali caçando e encontra Tália. Ele apaixona-se por sua beleza mas como não consegue acordá-la, a estupra e vai embora. Nove meses depois Tália dá a luz a gêmeos, Sol e Lua, mas continua adormecida. Um dia um dos bebês não encontra seu seio para mamar e coloca a boca no dedo da mãe e suga. Suga com tanta força, que extrai a farpa e a faz despertar.
Um dia, o rei que estrupou Tália, lembra-se de “sua aventura” com a bela a dormecida e resolve ir visitá-la. A esposa desse rei, descobre o caso e manda cozinhar as duas crianças e serví-las para o rei. Mas o cozinheiro prepara cabritos no lugar. Depois a rainha manda buscar Tália para lançá-la ao fogo, mas o rei chega e lança a própria esposa no lugar de Tália. Ele casa-se com Tália e vive com ela e seus filhos.

Branca de Neve e os Sete Anões  

O conto da Branca de Neve ficou popular através da versão dos Irmãos Grimm (com o nome Little Snow-White), que haviam ouvido a história de duas irmãs chamadas Jeannette e Amali Hassenpflug.

A história:

Branca de Neve tinha 7 anos quando provocou a ira da rainha-madrasta por causa de sua beleza. Então a rainha convoca um caçador e pede que leve Branca de Neve para a floresta e a mate, trazendo seus pulmões e seu fígado para provar a morte. O caçador tem pena de Branca de Neve e a deixa fugir, levando pra rainha os órgãos de um javali. Então a rainha come os órgãos.
Enquanto isso, Branca de Neve acha a casa dos anões e em troca de lavar, passar, costurar, limpar e arrumar a casa, eles a deixam ficar.
Ao descobrir que Branca de Neve ainda está viva, a rainha vai até a casa dos anões 3 vezes. Primeiro, ela leva um corpete de seda, e tenta matar a garota apertando o corpete bem forte. Não funciona, então ela volta com um pente envenenado e tenta a matar penteando seus cabelos. Na terceira vez ela vai com a maçã envenenada.
Dessa vez os sete anões chegaram tarde demais e nada fez a Branca de Neve acordar. Como sua aparência ainda era boa e ela tinha bochechas coradas, eles não tiveram coragem de a enterrar e fizeram uma cripta de vidro para ela.
Um dia um príncipe viu a cripta com a princesa e quis comprá-la dos anões. Os anões se recusaram a vendê-la, mas acabaram dando para o príncipe com pena, pois ele pediu muito. O príncipe tinha empregados para carregarem a cripta, mas um deles tropeçou e caiu, derrubando o caixão de vidro. Com a queda, Branca de Neve cuspiu o pedaço de maçã envenenada e voltou à vida.
O príncipe e Branca de Neve planejam então uma festa de casamento e convidam a madrasta má (que não sabe que Branca é a noiva). Enquanto a madrasta se arruma para o casamento, pergunta ao seu espelho quem era a noiva, e o espelho revela Branca estava viva. Ela decide ir ao casamento mesmo assim e fica apavorada quando vê que a noiva realmente era Branca de Neve.
Então, Branca de Neve e o  príncipe colocam um par de sapatos de ferro na brasa e vestem os sapatos na madrasta má, a fazendo dançar até cair morta.

Cinderela

Cinderela é um conto bastante antigo, com versão grega antes de Cristo e registros na China nos anos 800. Acredita-se que é a história com mais versões, centenas! Em muitas delas, Cinderela foge de seu pai, que quer casar-se com a própria filha pois esta lhe lembra sua falecida esposa. 

Assim como A Bela Adormecida, as duas versões mais conhecidas da história foram de Charles Perrault e dos Irmãos Grimm. A versão que conhecemos e que a Disney usou tem mais a ver com a de Perrault, que possui uma fada madrinha que transforma uma abóbora em carruagem. Abaixo a versão dos irmãos Grimm. 

A história:

A mãe de Cinderela veio a ficar doente e a falecer, mas antes de sua morte disse para a filha para plantar uma árvore em seu túmulo, e sempre que precisasse de algo, fosse lá chacoalhar a árvore. Algum tempo depois o pai se casou com outra mulher, que já tinha duas filhas más que logo apelidaram a menina de Cinderela. Um dia, o rei anunciou 3 bailes e Cinderela foi obrigada a ajudar as irmãs a se arrumar para o primeiro baile. Ela não tinha vestido e tinha que separar lentilhas antes que as irmãs voltassem. Depois que elas saíram para o baile, dois pássaros bateram na janela e se ofereceram pra ajudar Cinderela com as lentilhas.
No segundo baile, novamente Cinderela ficou em casa separando sementes, os pássaros após ajudá-la novamente, disseram para ela ir ao túmulo da mãe sacudir a arvore e fazer um pedido, ela foi, sacudiu a árvore e ganhou um esplêndido vestido prata com acessórios uma carruagem com serventes e cavalos para levá-la ao baile, mas tinha que voltar a meia noite, no baile, dançou com o príncipe que logo se apaixonou por ela.
No terceiro baile, novamente Cinderela é obrigada a ficar em casa separando ervilhas e com a ajuda dos pássaros ela termina a tarefa e faz mais um pedido na arvore plantada no tumulo de sua mãe.
Dessa vez, Cinderela ganhou um vestido dourado com pedras preciosas e sapatilhas feitas de ouro. O príncipe já a esperava na escadaria e dessa vez fez muitas perguntas à seu respeito. Cinderela quase perdeu o horário e teve que sair correndo, perdeu um dos sapatinhos e ainda perdeu a carona, ficando no meio da rua com suas roupas velhas. O príncipe encontrou seu sapatinho de ouro e proclamou que se casaria com a pessoa cujo pé coubesse nele.
A madrasta de Cinderela sabendo do que o príncipe havia proclamado, chamou suas duas filhas e disse que se o sapatinho não coubesse, elas deveriam usar uma faca e cortar um pedaço de seus pés. A irmã mais velha experimentou e não serviu, então cortou seu calcanhar e o sapatinho serviu. O príncipe já estava a levando para o castelo quando os pássaros amigos de Cinderela cantaram ao príncipe que havia sangue em seus sapatos.
Então a segunda irmã experimentou os sapatos e precisou cortar os dedinhos para servir. Novamente o príncipe enganado quase a levou para seu castelo, mas os pássaros a deduraram também, mostrando ao príncipe o sangue em seus sapatos. O príncipe voltou para a casa da madrasta e perguntou se havia outra garota. A madrasta não queria dizer, mas ele a pressionou até que ela falasse e fez chamar Cinderela. O sapatinho serviu e ele a pediu em casamento. No dia do casório, quando as irmãs de Cinderela tomavam o caminho da igreja, os pássaros bicaram seus olhos e elas ficaram cegas.

Chapeuzinho Vermelho

Na versão de Charles Perrault, Chapeuzinho Vermelho – uma moça bem criada – pede instruções para o Lobo Mau para chegar à casa da Vovó. Ele ensina o caminho errado, segue a moça e a devora. Moral da história? Não fale com estranhos
.
Mas, em versões ainda mais antigas, o Lobo Mau chega antes na casa da Vovó, a mata e prepara a sua carne, para depois convidar a Chapeuzinho para um delicioso jantar, e, claro, depois dessa nutritiva refeição ele também devora a moça.

Já na versão de 1884, dos Irmãos Grimm, o caçador vai à casa da vovó, vê o lobo dormindo e então usa uma tesoura para abrir a barriga dele e tirar as duas de dentro. Antes que o lobo acorde, a Chapeuzinho enche sua barriga com pedras pesadas. Assim que ele acorda, tenta correr e não consegue por causa do peso, então, cai morto.  

A pequena sereia  

A grande diferença nesse conto está em seu final. Ao invés de se casar com o príncipe e viver feliz para sempre, a pequena sereia na verdade é abandonada por ele logo após ela beber a poção mágica que lhe transforma em mulher. Mas, como tudo tem seu preço, a poção tem um pequeno efeito colateral: durante o resto de sua vida a pequena ex-sereia iria sentir uma dor tremenda nos pés, como se estivesse pisando constantemente em facas. Vendo a traição, alguém oferece um punhal para que ela tenha sua vingança. Mas, ao invés disso, ela pula no mar e morre.  

O Flautista de Hamelin

Nessa historia, um tocador de flautas mágico é contratado por uma cidade para livrá-la de uma infestação de ratos. Ele cumpre seu papel, mas quando volta para receber seu tão suado dinheirinho, a cidade se recusa a pagar. Daí, como vingança, ele usa os poderes de sua flauta para raptar todas as crianças da cidade e só as devolve após receber seu pagamento. 

Até aqui tudo bonito, mensagem positiva e uma moral no fim da historia. Mas, o conto original não é bem assim, nele, o encantador não devolve as crianças depois de receber da relutante cidade. Na verdade ele faz com que elas todas se afoguem num rio. E, em algumas versões ainda mais antigas, há referencias a pedofilia em massa dentro de uma caverna escura.  

João e Maria

Essa por si só já é assustadora, afinal, um pai que larga os filhos na floresta para morrer de fome não é lá o tipo de coisa que se lê para crianças certo!? Mas, numa versão mais antiga, a madrasta má, que pressiona o marido a lagar seus filhos na floresta, e a bruxa má são a mesma pessoa. Achei isso bem esquisito, mas as duas personagens tem personalidade bem similar. Outra alteração feita durante os anos foi com relação à própria bruxa que, em certa versão da história, na verdade é um casal de demônios, e ao invés de cozinhar João, eles querem estripá-lo num cavalete de madeira.

Quando o demônio "macho" sai para uma caminhada, o demônio "fêmea" manda Maria ajudar João a subir no cavalete, assim, quando seu marido voltar, tudo já estaria preparado. A esperta Maria finge não saber como colocar João deitado e pede para o demônio "fêmea" mostrar como se faz. Quando ela deita no cavalete, João e Maria a amarram ela e rapidamente cortam sua garganta. Depois fogem levando o dinheiro e a carroça do pobre casal de demônios. 

Três porquinhos  

Na versão de 1890, de Joseph Jacobs, os dois primeiros porquinhos são comidos pelo Lobo Mau. Quando o lobo invade a 3ª casa pela chaminé, ele cai num caldeirão de água fervente e morre. O 3º porquinho aproveita e faz um ensopado, e come o lobo.


A Bela e A Fera

A história de Andrew Lang de 1889 se difere bem pouco da história que nós conhecemos. Nela, não há objetos mágicos nem inimigo da Fera. Em uma outra versão, a Fera é descrita como alguém que se parece com uma cobra.
Nessa história o mercador tem outras duas filhas interesseiras e três filhos além de Bela. Quando o mercador viaja, elas pedem coisas caras e Bela pede apenas uma rosa vermelha. No meio da jornada o mercador encontra um castelo, lá dentro ele tem tudo que precisa, como comida e lareira pra se aquecer. Mas quando vai embora, rouba uma rosa para sua filha. Então a Fera aparece e fica furiosa e diz que só o perdoa se ele lhe trouxer uma de suas filhas.
O mercador volta para casa e Bela é a filha que se oferece para ficar com Fera. Chega no castelo pensando que vai ser devorada mas ele a trata como uma princesa. Além disso, Fera deixa o mercador encher dois baús com riquezas e levar para sua casa.
Toda noite a Fera pede Bela em casamento e ela recusa. Um dia Bela pede para ir visitar seu pai, pois está preocupada e com saudade. A Fera deixa, mas a Bela deve voltar em dois meses, do contrário a Fera morrerá.
Um dia Bela sonha com a Fera morrendo e se assusta e resolve voltar na mesma hora. Quando chega no castelo a Fera está realmente morrendo e Bela percebe o quanto o ama e diz. Então ele acorda e a pede novamente em casamento. Quando ela aceita, ele se transforma em um lindo príncipe.

É isso galera, essas são só algumas das versões originais que diga-se de passagem, algumas chegam a ser bem mais interessantes que as da Disney. Se você quiser conhecer mais dessas versões originais só da um clik nos links abaixo.

Contos de fadas, Irmãos Grimm

GOSTOU? SIGA-NOS NO FACE

34 Comentários:

Lu Cidreira rebobinou e disse...

Muito bom mesmo, você foi fundo em suas pesquisas e mostrou o lado obscuro não contados dos contas de fadas.
Isso acontece normalmente, também aqui você sabe que querem desfazer os grandes autores como Monteiro Lobato Mauricio de Souza por ex. isso é dito como: só tem direitos humanos e regalias para os que cometem delitos.
Abraço

Vanessa Barbosa. rebobinou e disse...

Vou te dizer uma coisa.. o conto da bela adormecida não me fez prestar atenção em mais nenhum, rsrs. Em primeiro momento eu dei muita risada, em seguida fiquei refletindo, tentando ler os outros contos mas o primeiro não saía da minha mente. Que história viu... certamente modificaram pois não se adequaria aos sonhos das crianças. Mas veja só que até os contos de fadas tem um passado sujo kkkkk' Agora posso ir ler o restante.

Sissym rebobinou e disse...

Adoreiiii este post!

Marcos, uma vez o pai de minha filha comprou um livro de contos dos Irmãos Grimm. Um dia, antes dela dormir, pensei em ler uma das historias.

De repente comecei a pausar a leitura repetidamente, de modo que ela ela notou a dificuldade. Então, retomei modificando ao meu modo o texto, afinal, era para sonhar com Conto de Fadas, não para ter pesadelos! kkkkk

Estou curtindo muito os filmes com toques para o publico adulto e juvenil.

Beijos

Anônimo rebobinou e disse...

Divulgue seu blog ou site no portal ozueira, é rápido, fácil e grátis.

Não possuímos limites de envio de links, você pode enviar quantos links quiser e não cobramos nada por isso.

Acesse http://www.ozueira.com/ e cadastre se, cadastre seu site ou blog e envie os links.
lembramos que nosso agregador possui um sistema automático de parceiros cadastre-se aki http://www.ozueira.com/parceria/

e ainda conta com um widget para poder divulgar postagens aleatórias que ira gerar visitas para seus parceiros e para você,alem do mais ira acumular pontos e ficar no topo dos parceiros.. crie o seu neste link http://www.ozueira.com/widgets/

Aguardamos seu cadastro. http://www.ozueira.com/

Eduardo Montanari rebobinou e disse...

Na verdade, as versões de Disney estão tão presentes em nossas memórias, tão arraigadas em nossas mentes que tomamos os contos de fadas mostrados por ele como os originais, quando na verdade, esses contos e personagens são muito mais sombrios e sérios do que achamos. Tudo o que Disney fez foi adaptar esses contos e personagens para o universo inphantiw.

Milene Lima rebobinou e disse...

Você destruiu as minhas ilusões infantis... Hahaha. Menino do céu, essa da Bela Adormecida foi muito punk! E pensar que hoje tudo é má influência pra criança, até a Xuxa e o seu Ilariê ridículo foi considerada uma bruxa má, por muitos. Dizer o quê disso tudo?
Muito bom mesmo.
Vou levar pro Face e assustar as criancinhas. Rsrs.
Beijo, Marcos.

Vinícius Silva rebobinou e disse...

Muito legal. Não sabia dessas outras versões dos contos de fadas...

Anônimo rebobinou e disse...

Aque eu mais gostei foi a da Cinderela, principalmente pq as irmãs más alem de ficarem mancas por terem cortado parte dos pés também ficaram cegas. Ai esses pássaros são do mal mano rs

Vinícius Silva rebobinou e disse...

Oi vim aqui lhe avisar que você está na segunda faze do concurso do BN, então corre e pede para os teus leitores votarem na tua frase na barra lateral do blog.. a frase mais votada irá vencer.. Boa sorte!

Vera Lúcia rebobinou e disse...


Oi Marcos,

Como ainda não tinha lido a primeira parte passei por lá para me inteirar.
Confesso a você que fiquei chocada com as versões que você trouxe. Que desilusão! (rsrsrsrs) Quanta maldade!. A realidade das crianças de minha época era bem outra e todas estas estorinhas eram contadas de maneira bem açucarada.
Adorei a postagem. Li cada conto como se estivesse assistindo a um filme de suspense ou de terror-rsrsrs.

Parabéns pela excelente pesquisa.
É sempre uma prazer ler suas postagens.

Obrigada pelo carinho das visitas e pelos ótimos comentários que deixa em meu recanto.

Ótima semana.

Meu abraço.

Sérgio Santos rebobinou e disse...

Lembro da época da escola, onde muitas vezes isso era tema de conversa entre os alunos. Sempre falávamos sobre, Marcos!

E até produziram um filme sobre João e Maria, mas em formato de filme de suspense. Irá estrear em breve. Abraços!

Adriana Helena rebobinou e disse...

Olá Marcos, tudo bem?
Estou aterrorizada com esses contos de fadas amigo...
Toda, todas, sem exceção me causaram repulsa! Mas realmente, naqueles tempos de trevas, as crianças não eram preservadas e como resultado, temos que até os contos "infantis" retratavam a dura realidade, como assassinatos de crianças,crueldade sem fim, estupros e pasmem, até pedofilia! Realmente assustador!

Fiquei com medo amigo, mas adorei os detalhes que nos trouxe. Contos sórdidos e horripilantes! Entretanto, eles se modificaram com o tempo para abrandar o terror implícito em cada um deles!

Valeu amigo, quanto a informação interessante! Seu espaço é mesmo perfeito!
Abraços e uma excelente semana!

Barbie Californiana rebobinou e disse...

Que interessante, Marcos... Gostei do post! Não sabia dessa história... A Disney fez bem em cortar o lado negro da história. beijos e linda semana.

Johnnie Lustoza rebobinou e disse...

Muito bom o seu blog e com informações de extrema relevância. Essa dos irmãos Grimm é muito boa e muita gente acaba não sabendo as verdade por trás dos contos de fadas... que nada mais são do que uma amenização comercial das versões originais.
Parabéns

Juankatatau Antonio rebobinou e disse...

Adorei a postagem muito boa, não só a postagem como o blog em si, estou seguindo

Jacques rebobinou e disse...

Olá, Marcos.
Eu já tinha ouvido falar nestas versões mais antigas dos famosos contos de fadas, e realmente, a origem de todos eles são histórias criadas para se passar lições de moral às crianças de outrora.
Interessante que atualmente o cinema vem se utilizando da recriação destes clássicos, como os filmes Jack, the Giant Slayer (refilmagem do clássico de 62), Maleficent e Caçadores de Bruxas, que estreiam ano que vem.
Abraço.

Lucas rebobinou e disse...

olá Marcos,belo blog,obrigado por ter comentado no meu blog neverdesista,primeiro comentário do blog,valew mesmo,vo seguir vc ,valeu....

Bárbara S. rebobinou e disse...

Nossa super interessante, li o post inteiro e realmente não sabia dessas coisas sobre os contos de fadas.
Sabia que eles não eram tão "alegres" mas esse da Bela adormecida é de dar calafrios.

hahah
http://taste-thesky.blogspot.com.br/

Paty rebobinou e disse...

Eu sempre amei a história da Bela e da Fera, acho a mais linda.
Sobre "A Revolução dos Bichos" acho ótimo você ler... George Orwell é muito bom! Eu li "1984" porque várias bandas que eu gosto faz referência como o Radiohead e o David Bowie. E foi daí que tiraram o nome "Big Brother". Você vai gostar bastante!

Luciana Souza rebobinou e disse...

Oi Marcos
Primeiramente quero agradecer suas palavras carinhosas em meu blog num momento difícil em que estava passando. Em segundo lugar, seu blog é muito edificante! Ual! Eu já sabia que as histórias do Walt Disney não eram bem assim, mas vc as descreveu muito bem, é bom para mim, que tenho um filho bem pequeno ainda. Parabéns!
Bjos. Fique com Deus!

Heitor Lima rebobinou e disse...

Toda essa obscuridade me dá arrepios. Não somente pelas histórias que, originalmente são mais assustadoras, mas por todas essas versões, os motivos dessas histórias terem sido criadas, quem a s contou primeiro, fico imaginando, sabe...
Mas gostei muito do post. Não sabia de muita coisa que você contou.
Até mais! :D

Patricia Galis rebobinou e disse...

Nossa não sabia de nada disso afff...muito boa postagem.


O blog Café entre amigos, promoveu a primeira edição Xícara de Ouro, onde os seguidores indicaram os melhores blogs de 2012 e o seu está entre os vencedores, meus parabéns, confira o selo da premiação e o link de todos os blogs abaixo:

http://www.cafeentreamigos.com/2012/12/seguidores-do-cafe-entre-amigos-elegem.html

Luma Rosa rebobinou e disse...

Oi, Marcos!
Não conheço a versão dos contos de fadas da Disney. Nunca tive curiosidade ou talvez, se tivesse uma menininha na família eu entraria em contato, mas sou a caçula das netas, então... conheço bem as fábulas dos irmãos Grimm, consideradas patrimônio da literatura mundial, onde o conto acaba quando A Bela Adormecida encontra o príncipe e não tem bastardos na história.
A versão que contou da Bela Adormecida é de Basile, onde essa acorda quando dá a luz e não quando um dos gêmeos suga seu dedo. A rainha morre na fogueira que preparou para a matrar a Princesa Talia (Bela Adormecida)

Donetzka Cercck Lavrak Alvarez rebobinou e disse...

Que maravilha de postagem,amigo!

Trabalho de pesquisa excelente!

Obrigada pela visita. Volte mais vezes!

Uma semana de Paz Profunda.


Donetzka

Elaine Regina rebobinou e disse...

Amigo, eu sou APAIXONADA pelo Mario Quintana. Você citou um dos meus amados...


É justamente essa simplicidade que mais admiro na poesia dele, e é um traço que gosto de colocar nos meus poemas. Mas por afinidade, por gostar dessa característica, e não para imitar quem quer que seja. Eu sou eu, e Quintana é Quintana, e eu não quero, nem pretendo, jamais imitar algum poeta. O que acontece é mais aprendizado, troca e influência (é impossível não haver uma "contaminação" quando leio um autor que considero bom e que me toca profundamente...). Outro traço que aprendi com o Mario foi a ironia. Isso me fascinou nele e passei a deixar isso fluir nos meus escritos sempre que tenho vontade.

A sua observação me deixou muito contente, viu? E seu comentário sobre o outro poema que postei foi bastante interessante também.

E esse seu post é também MUITO legal. Você procura sempre coisas interessantes e curiosas para mostrar. Meus parabéns!

Beijão!

Anne Lieri rebobinou e disse...

Um texto muito interessante!Achei impressionante as histórias de acordo com a vida real!A mentalidade era bem diferente e foi bom que Disney chegou pra colocar um pouco de magia!...rss...bjs e grata por sua gentil presença em meu blog tb!

Vera Lúcia rebobinou e disse...


Olá Marcos,

Vim deixar meus votos para uma Natal de amor e alegria e um 2013 de muito sucesso e sonhos realizados. Que seja um ano de paz e com muitas surpresas felizes.

ÓTIMAS FESTAS!

Obrigada pela companhia no ano que ora finda. Foi um prazer conhecê-lo.

Abraço.


Marcolino Carvalho Pinto rebobinou e disse...

As histórias originais dos contos de fadas são bem violentas, isso eu já sabia. Eles foram criados e contados em tempos muito antigos quando não havia havia Disney, censura moral, não haviam meios de comunicação em massa, não haviam profissionais de cinema que sabem o que agrada mais o público. Isso tudo significa que o mundo, antigamente, era também violento e essas histórias nascidas no meio do povo nos dão uma ideia de como era imaginação dos antigos. Vale a pena pensar sobre isso.

janete silva rebobinou e disse...

fiquei impactada com seu trabalho a perfeição em cada historia nunca ouvi contos assim. a sua criatividade leva-nos a ficarmos fixado no livro de historia e pensarmos de outro jeito a respeito de tudo que nossos pais contaram pra gente dormir

Anônimo rebobinou e disse...

gostei do lado sombrio dessas historias

Anônimo rebobinou e disse...

еxcellkent put up, very informative. I pіnder why the other experts oof this sectоr do not reaalize this.
You sҺould cоntiոue your writing. I am sure, you'vе a huge гeaders' base alreаdy!


Here isѕ myy weblog - Online casino

Suka rebobinou e disse...

a versão q sei da chapelzinho vermelho é bem mais bizarra, com direito a zoofilia e tudo mais

Anônimo rebobinou e disse...

NÃO FEZ NÃO!!! DI$NEY = LIXO!!!

Maria Eduarda Sartorio rebobinou e disse...

Nss ...Nunca mais vejo os filmes de desenho da disney

Postar um comentário

REGRAS DO BLOG
- Todos os comentários são moderados e só ficarão disponíveis após serem aprovados.

SERÃO BLOQUEADOS OU APAGADOS AQUELES COMENTÁRIOS QUE CONSISTAM EM:
- Ofensas, grosserias e discordâncias desrespeitosas contra o autor do blog, ou outros comentaristas;
- Comentários com o objetivo exclusivo de perturbar (trollagens, provocações e bullying virtual)
- Comentários sem relação alguma com o conteúdo;
- Comentários duplicados;
- Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa, grupo de pessoas e instituições;
- Pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
- Propagandas políticas, religiosas, de produtos e serviços.
- Comentários que caracterizem prática de spam;

 
no-repit center;