6

A origem de toda a corrupção: A verdadeira história do descobrimento do Brasil

Ola a todos!!!!!!

Não é de hoje que tenho acompanhado as sujeiras e falcatruas que acontecem em Brasília, mensalões, CPI que acaba em pizza, propinas, o escândalo do juiz lalau, o dinheiro escondido na cueca, compra de castelo com dinheiro publico etc, etc, etc... Da vontade de vomitar só de lembrar dessas coisas. Bom, para não me estender muito na escrita vou postar um vídeo com recentes acontecimentos e gravações envolvendo o deputado federal JOSÉ ARRUDA, o presidente da câmara distrital LEONARDO PRUDENTE e o DP.EURIDES, no escândalo das propinas.


Sujeirada!!! E o pobre do trabalhor tem que ralar um mês inteiro para ganhar um mísero salario. Em virtude de todas essas sujeiradas eu me propus a buscar onde esta a raiz de todos esses males, tem um ditado que minha vó costumava dizer "PAU QUE NASCE TORTO, MORRE TORTO", a algum tempo eu ja tinha a informação que a história do nosso país não passava de uma grande mentira, que na escola não nos contavam como tudo realmente aconteceu desde o descobrimento do Brasil até a proclamação da republica.

Então fiz algumas pesquisas sobre o assunto e vou postar aqui, como o assunto é muito grande, vou posta-los em partes pra não ficar cansativo, para que você possa entender, mas a verdade é, que não é de hoje que somos enganados, o Brasil já nasceu torto.

Veja a segunda parte dessa postagem AQUI


O verdadeiro descobrimento do Brasil parte 1


Antes de mais nada, é preciso esclarecer que o Brasil não foi "descoberto" em 22 de abril de 1500, conforme regularmente se ensina (e se comemora) e que a missa aqui celebrada em 26 de abril também não foi a primeira.

  Em seguida, convém registrar que o "descobrimento" não se deu por acaso, como se costuma (ou se costumava) ensinar nos livros escolares; foi, ao contrário, cuidadosamente planejado pelos reis templários portugueses, que tinham conhecimento da existência destas terras do outro lado do Atlântico e sabiam das correntes marítimas para a elas chegar muito antes das primeiras navegações lusitanas.

Também é preciso retificar que o principal motivo para as grandes navegações não foi de ordem econômica, como costumeiramente se acre-dita; ao contrário, o projeto dos descobrimentos obedeceu, antes de tudo, a uma motivação espiritual - dentro do plano dos cavaleiros da Ordem do Templo ou de Cristo de chegar à Terra da Promissão, à Grande Ilha Sagrada ou Ilha Imperecível, onde seria feito, de acordo com as profecias , o Reino de Deus na Terra.

 O nome Brasil não veio de pau-brasil (cor de brasa) como se ensina e, sim, é uma denominação que já existia antes da oficialização da descoberta, significando "terra abençoada".

Finalmente, quem nos colonizou não foram só bandidos degredados e gente da pior espécie, conforme se afirma injusta e inveridicamente; ao contrário, o Brasil foi povoado principalmente por uma elite constituída por cristãos-novos, cavaleiros templários e pessoas perseguidas ( degredadas) por questões ideológicas ou religiosas, como os festeiros do Divino.


Portugal Anuncia ao Papa a "Descoberta" da Ilha do Brasil

Oficialmente, sabe-se que os portugueses já no ano de 1343 ou antes dele aqui estiveram, enviados pelo rei de Portugal Afonso IV, filho de D. Dinis.

Afirma-nos Roberto Costa Pinho que "o primeiro registro da Ilha Brasil encontra-se na Carta Náutica do cartógrafo genovês Angel Dalorto, elaborada em 1325, onde ela figura a oeste da costa sul da Irlanda, 175 anos antes do Brasil ser oficialmente descoberto." 98

Como podia um cartógrafo genovês saber da existência desta terra, que os irlandeses da época passaram depois a chamar de Ilha de São Brandão? De duas maneiras: ou porque teve acesso a mapas existentes (como os dos templários) – assunto de que falaremos mais à frente - ou porque, já nessa época, navegadores portugueses, orientados por genoveses, cruzavam os mares e aportavam no Novo Mundo.

Esta última hipótese sem dúvida é plausível, pois convém lembrar que o rei D. Dinis, de Portugal, nascido em 1260 e considerado o pai do projeto dos descobrimentos, contratou navegadores genoveses para construção da primeira armada portuguesa, com vistas às navegações marítimas futuras. Foi este monarca que plantou pinhais pelo reino, para fornecer a madeira necessária ao feitio das embarcações.

O ano de 1325, em que apareceu a Carta Náutica de Ângelo Dalorto, foi também o ano em que morreu D. Dinis, subindo ao trono seu filho Afonso IV. Dezoito anos após a morte de D. Dinis, em 1343, foi oficiada ao papa a descoberta da Ínsula Brasil, conforme registra Felipe Cocuzza:

"Sancho Brandão foi o navegador português que, a mando de D. Afonso IV chegou ao Brasil na Idade Média, conforme atesta Assis Cintra, em seu livro "Revelações Históricas para o Centenário", em 1923. Essa navegação foi informada por D. Afonso IV ao papa Clemente VI em carta de 12 de fevereiro de 1343, acompanhada de um mapa com a inscrição de "Ínsula do Brasil ou de Brandam". O nome Sancho, de Sanctius, o mais santo, ajudou a convergência para São Brandão". 99

Segundo este mesmo autor, mapas e textos europeus da Idade Média, entre eles o célebre "The Canterbury Tales", de Geolfroy Chaucer (1380) ligam sempre o nome do Brasil ao de Portugal, às vezes dando idéia inequívoca de posse: Brasil de Portugal.

Esta "descoberta" de 1500 foi, portanto, uma "tomada de posse", uma vez que os reis templários de Portugal já sabiam da existência destas terras muito antes dessa navegação ordenada pelo rei Afonso IV, aliás preparada pelo seu pai, D. Dinis, chamado por Fernando Pessoa de "plantador de naus".

na próxima postagem estaremos falando sobre:( O Plano da "Descoberta" ) e  ( A Origem do Templário (Espiritual ) dos Descobrimentos ) até la...

origem da fonte de pesquisa ( Professor Alexandre -ATELIÊ DE HISTORIAS )

LEIA O LIVRO-HISTÓRIA SECRETA DO BRASIL

6 Comentários:

Pedro Lopes rebobinou e disse...

Artigo interessante.

De facto a versão oficial aponta para o descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral em 1500, mas também e certo que a Monarquia portuguesa já tinha conhecimento prévio do Brasil, mas todo aquele período de história entre 1400 e 1500 está muito turvo, existem inclusive evidências de que Cristovão Colombo era português e não genovês.

Abraço.

Lu Cidreira rebobinou e disse...

Se você não manda esse link eu ficava a ver navios...
Muito boa a abordagem e apesar de não ter lido esse livro tinha uma ideia desses casos aqui relatado.
Irei ler a continuação.
Valeu mesmo.
Abraço

Ângelo Miguel rebobinou e disse...

Adorei o esclarecimento! Fico feliz em saber que temos brasileiros iguais a você: divulgadores da verdade de uma nação, carente de conhecimento e cultura.

Marcos Mariano rebobinou e disse...

Vlw Angelo, volte sempre

Anônimo rebobinou e disse...

um país desse pode prestar?os indios ja tinham seus costumes e suas crenças,e obrigaram-nos à se catequisar e os q não aceitaram foram exterminados,e tem mais nunca descobriram a palavra correta é INVADIRAM À FORÇA

Eduardo Corrêa e Castro rebobinou e disse...

Excelente texto, crítico,circunspecto,racional e abalizado, apreciei muito.

Postar um comentário

REGRAS DO BLOG
- Todos os comentários são moderados e só ficarão disponíveis após serem aprovados.

SERÃO BLOQUEADOS OU APAGADOS AQUELES COMENTÁRIOS QUE CONSISTAM EM:
- Ofensas, grosserias e discordâncias desrespeitosas contra o autor do blog, ou outros comentaristas;
- Comentários com o objetivo exclusivo de perturbar (trollagens, provocações e bullying virtual)
- Comentários sem relação alguma com o conteúdo;
- Comentários duplicados;
- Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa, grupo de pessoas e instituições;
- Pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
- Propagandas políticas, religiosas, de produtos e serviços.
- Comentários que caracterizem prática de spam;

 
no-repit center;