6

A verdade final sobre os "Chupa-Cabras"


Ola a todos caros amigos Rebobinantes, num é de hoje que ouvimos falar sobre essa criatura misteriosa que ninguém, até então sabia exatamente o que era.

Muito se falou em seres de outro planeta, assombração e por ai vai, mas na minha opinião, mesmo com toda essa descoberta cientifica, é que, tudo não passa do imaginário popular, sempre fértil e cheio de imaginação.

Os primeiros relatos no Brasil ocorreram em quatro cidades do interior de SP, em janeiro de 1997, registraram o aparecimento de uma criatura bizarra que teria mutilado animais, segundo um ufólogo paulista.

Os municípios foram São Vargem Grande do Sul, Rio das Pedras, São Roque e São Roque da Fontoura. Algumas testemunhas foram ouvidas e colhido material. O suposto ser possuiria uma cabeça volumosa, várias bocas, dentes irregulares, corpo do tamanho de um bezerro, pelos espessos e garras no lugar de patas. Na cidade de Brotas, interior se SP, a PM foi acionada e encontraram uma pequena ovelha morta com alguns orifícios no crânio e corpo completamente seco. Ufólogos relacionam as mutilações dos animais a ataques de ETs. Alegações semelhantes caíram no ridículo e a possibilidade de fraude não está descartada. Desde 1997 até agora, nada tinha sido provado e a criatura batizada como "Chupa-Cabras" se tornou um mito folclórico como o saci pererê e outros


Mas a febre chamada Chupa-Cabra quase um popstar, não era uma exclusividade do Brasil, em 1995, em Porto Rico o delegado da cidade de Canovanas, havia recebido uma chamada de animais mortos e tinha ido investigar, isso começa a se repetir constantemente. Na época a moradora Madalyne Tolentino e sua mão deram relatos sobre o suposto sugador, pois diziam ter sido as primeiras a ver o monstro, a conclusão que se teve é de que o chupa-cabras veio do espaço, havia na época o noticiado de que até uma professora havia conversado com ele.

As últimas aparições foram em 2006, no município de Turner nos Estados Unidos, uma criatura foi encontrada morta depois de ter sido atropelada por um carro. Em 15 anos, os moradores do condado de Androscoggin, diziam ter visto e ouvido um misterioso animal com olhos que brilhavam na escuridão. A mídia chamou o animal de Chupa-Cabras.



Cientistas descobriram o segredo por trás do mito do Chupacabra – e a verdade é que os bichos horríveis existem mesmo! Mas não pense em um alienígena ou em uma criatura sobrenatural. Os Chupacabras podem ser até comuns.

 Os Chupa-Cabras surgem por causa de um “monstrinho” de oito patas, microscópico que, em vez de sugar sangue entra sob a pele. Conhecido como Sarcoptes scabiei, é uma espécie de ácaro que causa sarna em humanos e em coiotes.

Então os chupacabras seriam, nada mais nada menos, do que coiotes com uma infecção de sarna severa, de acordo com biólogos da Universidade de Michigan.

Os humanos podem ser afetados pelo ácaro da sarna, mas nós temos recursos para combatê-los, então, normalmente, as pessoas não apresentam nada maior do que pequenas áreas avermelhadas na pele e coceira.
 Sarcoptes scabiei

No entanto, cachorros de rua e coiotes não tem a mesma capacidade de lidar com as infecções do que nós e, quando são infectados, os efeitos que eles sofrem são bem mais severos. Os coiotes que contraem a doença, aliás, normalmente morrem por causa dela.

Na verdade, a sarna, antigamente, acontecia apenas em humanos e foi transmitida de nós para os animais. Os relatos das aparições “chupacabras” começaram em Porto Rico, em meados de 1995, e falavam sobre um animal de quatro patas, sem pêlos e muito feio – a descrição de um cachorro ou coiote sarnento.

As pessoas começaram a tirar fotos e os cientistas da Universidade de Michigan, analisando o material, concluíram que se tratavam de coiotes ou cachorros com sarna em estado avançado. Além da perda de pêlo, o focinho dos cachorros “encolhe”, fazendo com que seus dentes fiquem mais evidentes. Como seus hábitos também são afetados pela doença, eles passam a atacar presas maiores, como gado e cabras, em vez de coelhos e outros animais menores que caçariam normalmente.

fonte ( hypescience, fotos google )

6 Comentários:

Eduardo Montanari rebobinou e disse...

Eu nunca vi um chupa cabra na minha vida, mas acredito que existam, como os Aliens do filme, que tem ácido ao invés de sangue. Já chupa cobras aqui nas quebradas da cidade tem de monte. Terríveis travecos feios que mais parecem alienígenas.

hobbyblogclube rebobinou e disse...

Olá, Marcos!
Sempre tivemos nossos medos e crendices, mas por que será que "coisas assim" só aparecem em cidades de interior?
Aliás, a foto da Emy ficou perfeita com o post!
Abçs!
Rike.

lucidreira rebobinou e disse...

Eu até confundi a foto de Emy com um chupa cabra, risadas. Mais já até disseram aqui, por que será que só aparece nas cidades do interior, como Varginha em MG, e falando nisso já descartaram que fosse um ET.
O que gosto daqui são as suas precisas informações.
Abraço

Mister Cool rebobinou e disse...

eu já vi um chupa-cabra minha professora kkkkkkkkk (brincadeira)

Anônimo rebobinou e disse...

haaaa eu sabia que esse negocio de chupa-cabra
num tinha nada de Et, muito bom o artigo, vc num se confundiu não a foto da Amy Winehouse ta no lugar certo rsrsrs

Bruno Castilho

Anônimo rebobinou e disse...

SIM . ELE EXISTE. É UM BODE . UM BODE BEM TARADO !!!

Postar um comentário

REGRAS DO BLOG
- Todos os comentários são moderados e só ficarão disponíveis após serem aprovados.

SERÃO BLOQUEADOS OU APAGADOS AQUELES COMENTÁRIOS QUE CONSISTAM EM:
- Ofensas, grosserias e discordâncias desrespeitosas contra o autor do blog, ou outros comentaristas;
- Comentários com o objetivo exclusivo de perturbar (trollagens, provocações e bullying virtual)
- Comentários sem relação alguma com o conteúdo;
- Comentários duplicados;
- Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa, grupo de pessoas e instituições;
- Pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
- Propagandas políticas, religiosas, de produtos e serviços.
- Comentários que caracterizem prática de spam;

 
no-repit center;